domingo, 27 de setembro de 2009

paradigma da ausência


propaganda do mec sobre o ofício de professor. diz que os países europeus tiveram capacidade para se desenvolver muito econômica e socialmente. aí pergunta: "qual o profissional responsável pelo desenvolvimento?", "o professor" respondem os europeus (e uma japonesa).
na verdade essa resposta é mentira. o profissional que garantiu o desenvolvimento desses países foi o general, ou algum outro militar, algum corsário, comerciantes de escravos, etc. a "capacidade" européia de se desenvolver não vem da educação, vem da acumulação primitiva, vulgo imperialismo-colonial-neocolonial-eurocentrico-racionalista-iluminista-greco-romano-cristão-industrial-capitalista-do-mal. então o que está errado é a pergunta, que deveria ser: "qual o profissional responsável pelo desenvolvimento nos países pobres não imperialistas do mundo contemporâneo?" aí sim: o professor...

questão de gênero .1


isso é uma notícia da página do terra. clique para ler e ficar informado sobre esse fato importante. as intervenções em vermelho (ideológico) são minhas.
primeiro: pouco me importa.
segundo: se você estiver vendo sua novela, e notar a presença de alguma atriz mirim bonitinha e inocente, aos seus 7 ou 8 anos, saiba que assim que ela se tornar legalmente maior de idade será possível vê-la sem roupa (!) e é assim que as coisas são.
passado o choque, é preciso dizer que os empresários, diretores de novela, agentes da playboy, os pais das atrizes-mirins-bonitinhas e outros, só estão esperando pelo momento em que seja possível agregar valor, ou melhor, aumentar o valor de uso dessas criaturinhas inocentes, inserindo-as na indústria sexual, ainda que não necessariamente com prostituição, o que é indecente, como bem sabem os empresários, diretores de novela, agentes da playboy, os pais das atrizes-mirins-bonitinhas e outros, todos trabalhadores honestos, católicos não praticantes - porque são ao mesmo tempo modernos e respeitadores da tradição - , eleitores do psdb, homens de família, etc. então é isso: agora é só ir ao google imagens e procurar "cecília dassi", pois já tem 19 anos, "teve que perder a vergonha".

sábado, 26 de setembro de 2009

placas, etc

não pode animais, não pode veículos motorizados, não pode veículos desmotorizados, não pode mergulhar de cabeça no recife de corais, não pode cortar flores, não pode dar sorvete para o macaquinho, não pode pescar, não pode meter fogo.

apenas três tipos de usuários de banheiro! ao que parece, a classe das mulheres-portadoras-de-necessidades-especiais permanece excluída do direito a banheiros devidamente separados.

sem comentários. só um: os militares são o setor mais simpático de nossa sociedade.

preço feito no inferno, com a ajuda do diabo, certamente.

sábado, 19 de setembro de 2009

viagem às terras do rio de janeiro .2

este blog é dedicado aos mendigos e marginais que circulam pelas intermediações do terminal central de campinas. isso melhora em muito a vida deles. mas a questão é: no rio de janeiro o buraco é mais embaixo. a orla de copacabana é montada para reproduzir a ilusão da cidade maravilhosa: é o espaço do turista, o espaço em que a felicidade no ato do consumo deve ser plenamente satisfeita. a satisfação é produzida pela possibilidade de reproduzir na atividade turística algum modelo de felicidade incorporado via propaganda/cinema/novela/etc. os modelos de felicidade são formulados pela indústria, que associa, na representação veiculada pela propaganda/cinema/novela/etc, seu produto a certas condições ideais. então, beber uma cerveja na praia é mais que bom, é ideal, quando ao redor há a paisagem perfeita de prédios e espaço público bem cuidados, quiosques modernos, higiênicos - com opção de pagamento em cartão de crádito. tudo isso emoldurado pelo corcovado, pelo cristo, pelo pão de açúcar, gostosas de bikini. um fim de semana no rio de janeiro é a oportunidade de realizar algo já repetidamente visto antes pela t.v.
nada pode estragar a ilusão da cidade maravilhosa. portanto, na orla de copacabana, só muito raramente surge algum garoto-negro-menor-de-idade, vestido com roupas velhas e sujas pedindo algum trocado. a realidade personificada nos marginais frustra, pelo menos por alguns minutos, a produção da felicidade que se quer vender ao turista.
a cidade maravilhosa restringe-se a estrita faixa do calçadão: andando duas quadras no sentido oposto ao mar a quantidade de mendigos e garotos-negros-menores-de-idade pedindo trocado, aumenta gravemente.
as intervenções em vermelho são minhas.
ps: vermelho ideológico.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

viagem às terras do rio de janeiro

outro dia eu estive no rio de janeiro. fui a ipanema e mandei a cidade maravilhosa para aquele lugar:
era o 7 de setembro, portanto, ocasião de um belo desfile marítimo de navios militares da marinha pelo mar. não mais que isso. para mim também não faltou ocasião (veja ao fundo o navio de guerra):
por nada. simples espírito de insubordinação despropositada. é uma pena, mas gerou, apesar de tudo, belas fotos. o mesmo sucedeu em minha visita ao pão de açúcar:
penso que foi muito estranho ver o pão de açúcar pela primeira vez. na verdade também o corcovado, o cristo e tudo mais. são imagens muito familiares, como se as conhecesse desde sempre. e de fato conheço, pela televisão. reprodução técnica do mundo, etc.

sábado, 12 de setembro de 2009

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

revolução verde .2

inventei numa mesa de bar a salvação do mundo conhecido: trata-se de um grande tubo capaz de jogar para fora da atmosfera terrestre todas as sujeiras que produzimos! poder-se-ia lançar para o espaço, o lixo doméstico e o industrial, os dejetos humanos e as fumaças dos carros. o vácuo é o único lugar em que é possível fazer de tudo sem desrespeitar quem quer que seja: não há responsabilidade social ou consciência ecológica quando se trata de atirar esgoto e descartáveis contra as estrelas e os meteorítos. então, como é e como será:


bem, como nem tudo pode ser totalmente para o bem, um amigo alertou-me que o tubo poderia ser uma opção relativamente simples de suicídios, o que seria indesejável caso as pessoas começassem a aderir em massa a esse tipo de prática.

pretensão de originalidade

nada nesse mundo é pior que a pretensão de originalidade. ao homem modesto é preciso convencer-se de que tudo já foi dito. é preciso aceitar a cruel inevitabilidade de repetir e repetir-se eternamente. os blogs são o lugar do direito à livre reprodução de bobagens. tenho uma opinião ranzinza-autoritária-excludente: crianças que não lêem mas querem ser lidas entopem a net de clichês pretenciosos moralizantes sobre todas as coisas. a pretensão de originalidade como vontade moralizadora do mundo parte do princípio de que existe uma situação ruim generalizada, da qual a tal criança-escritora-de-blog não se considera parte. considera-se, portanto, alguém capaz de superar a degeneração reinante e redimir o mundo.
só uma coisa: o campo do conhecimento amplia proporcionalmente o da ignorância sentida como ignorância. de outro modo, a visão de mundo formada a partir convicções fechadas em si, (jornalismo, educação escolar, tradição familiar) dá aos sujeitos a prepotência de dizerem com certeza, soluções para problemas complexos.
ao contrário, a concepção re-destrutiva de mundo considera a contradição na condição humana, coloca sem a menor sombra de certeza problemas complexos para as soluções, não inova em coisa alguma. em resumo: repetição engraçadinha sem sentido do já dito. se tanto.