sábado, 24 de outubro de 2009

questão de gênero .2

hoje em dia ninguém sabe fazer nada.

isso é uma matéria da página do portal terra (as intervenções em vermelho são minhas. clique na imagem para aprender melhor). dica: copiar o cabelo das personagens da novela. isso deverá garantir a felicidade da mulher brasileira.
atenção maior aos links à esquerda: dicas para homens e mulheres. dicas sobre todas as coisas - alimentação, estética, rosto e corpo, viver bem, tudo para eles/elas. a novela chama-se viver a vida. as personagens são os modelos de viver a vida. viver a vida é apresentar-se diante do mundo com a imagem adequada: cabelo adequado. veja as fotinhas das três moças. é mais que cabelo: é um tipo de olhar, de sorriso, de beleza, de atitude.
ilusão de variedade+ilusão de escolha. loira, morena, negra, asiática, jovem, coroa. todas podem ser bonitas: há um corte ideal para cada tipo. "quem nunca desejou copiar um corte de cabelo [...]", "qual seu preferido?" eis o engano tornado realidade. vaidade feminina: a insatisfação consigo mesma é produzida pela distância insuprimível entre a representação da novela e a prática possível da vida concreta.
viver a vida, faz-me rir. eu ainda fiz uma seta vermelha apontando para a propaganda da nextel. é isso o que manda. o anunciante paga, um babaca escreve uma bobagem. não, é mais do que isso: o anunciante paga e um babaca/profissional qualificado das letras jornalísticas produz o gosto do consumidor. o público preocupado com o cabelo ideal - telespespectador de novela - é o público continuamente ansioso por satisfazer pseudonecessidades sucessivas e ininterruptas: comprar celular. fui longe demais?
essa matéria é do yahoo. a qualidade permanece. spray contra ejaculação precoce. hoje em dia ninguém sabe fazer nada. aumento do período de penetração: 30 segundos a 4 minutos - excelente! lado esquerdo, indicado com a seta vermelha, "como falar de sexo?" hoje em dia ninguém sabe fazer nada.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

do onanismo moderno

1- hoje em dia a internet banda larga mudou em muito a percepção dos jovens de classe média sobre as coisas...o onanismo intensivo sobre uma mesma revista, conseguida com certos donos de banca capazes de fazer vista grossa a consumidores menores de idade, já é coisa do passado. os sites pornográficos instituem o onanismo extensivo - em oposição ao intensivo: não se tem a oportunidade de criar relações afetivas com fotos e vídeos específicos. não é necessário, há updates diários. quantidade, qualidade, variedade e facilidade de acesso: fim do softcore-sem-vergonha-insuficiente-repetido.

2- a prática generalizada do uso de celulares é mais que comodidade: é extensão da jornada de trabalho, em tempo integral. um homem de meia idade, funcionário bem sucedido de uma empresa nacionalmente reconhecida, volta para casa ao fim do expediente. a qualquer momento, entretanto, ele pode ser contatado em seu celular - como também por e-mail, cuja função é a mesma - para resolver algum eventual problema. ele não reclama: (acha que) ganha bem e deve retribuir com trabalho. concepção invertida do mundo.

domingo, 11 de outubro de 2009

inspirado em walter benjamin. dedicado ao vazio

um homem de meia idade, funcionário bem sucedido de uma empresa nacionalmente reconhecida. fora do trabalho, sábado/domingo, ele senta em frente de sua t.v. lcd que fez questão de comprar à prestação. "só assim se pode aproveitar tecnologia h.d.". ótima imagem, som de última geração - por isso o volume excessivamente alto, para não perder os detalhes, " para poder ouvir os graves". assistir o quê? ouvir o quê? não interessa: a técnica é um atrativo em si mesma.
a escravidão do trabalho não permite que se cultive gosto algum. não há tempo livre para buscar interesses mais profundos. nossas ecolhas, portanto, restringem-se ao que é mais imediatamente oferecido pelas imagens da propaganda/cinema/novela, como se não houvesse outras opções além da variedade ilusória do mesmo, repetida incessantemente na propaganda/cinema/novela.
o prazer do homem médio limita-se a meia hora semanal de ilusão - ao ato de fazer algum uso da porcaria tecnológica adquirida a custo de tanto esforço. a alegria de ter, não é uma simples perversão que encobre o ser: é o processo complexo de identificar a felicidade a algo artificialmente existente na mercadoria.
é a representação da mercadoria, anterior a seu consumo, que garante este engano. na propaganda a t.v. lcd é assistida por uma família branca e feliz, por um casal de belos jovens sorridentes; ela está em uma sala de estar limpa, bem arrumada e bem iluminada; de design leve e discreto, mas refinado e aconchegante; mobília moderna.
o descompasso entre a representação da vida idealizada e a miséria concreta da vida cotidiana se expressa na permanência da infelicidade, apesar da aquisição do objeto que une um mundo e outro.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

des-graça

uma tarde assistindo esse filme, que em português tem o belo título "tentação". em seguida, sem nenhuma relação inicial, leitura de freud, o mal estar na civilização. conclusão: não há limites para a desgraça humana. já falei sobre isso: contradição+constrangimento=condição humana. acho que vou transformar este blog em um diário virtual, como o de bilhões de adolescentes que escrevem em péssimo português, as mesmas baboseiras. aí eu posso acreditar que o fresno é realmente a melhor banda do brasil... de todos os tempos, porque não?, ou do mundo e em todos os tempos, por que não? e parar com a mania de achar que há alguma coisa muito estranha acontecendo...forças muito estranhas levando o mundo para um estado deprimente. não que o mundo esteja em degradação, não que já tenha sido melhor: mas apenas ruim de um jeito diferente. ruim de forma instituída e sistematizada.
caso você seja privilegiado a ponto de não saber o que é o fresno, compartilho com você esse desprazer enorme:
exato, são esses belos tipos. é uma banda que ganhou recentemente alguns prêmios apesar de tudo. o pior que ao passar diante das várias escolas da cidade, vejo que seres humanos com idades entre 10 e 18 anos (do sexo masculino), tem isso como modelo de visual. espero que só visual - o que já é demais - e não musical. daí minha implicância com esta juventude de hoje.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009