sexta-feira, 19 de março de 2010

relações pessoais de mercado .2

1- um dia seus amigos começam a se portar como se estivessem em um seriado americano. quando isso acontece sabe-se que chegou o momento de deixá-los. friends, além de formar modelos - exemplos estéticos e morais - individuais para o jovem esclarecido de família honesta, define uma concepção de relacionamento, de amizade, que de tão desejável, de tão agradável, em breve começa a ser, para o assistidor de friends, modelo para avaliar a forma como as pessoas reais se comportam em relação a ele. o assistidor de friends se sente frustrado quando seus amigos reais não oferecem as mesmas possibilidades que os amigos de friends.

2- sabemos que friends é para os ignorantes...contudo, há um outro tipo jovem esclarecido de família honesta, este, consciente da natureza da exploração capitalista, ateu e saudavelmente individualista, convicto de que não precisa seguir as convenções morais ultrapassadas. apesar de todas estas qualidades, está sujeito a escolher seus amigos - e seus próprios gestos, vocabulário, entonação, etc - procurando pessoas que finjam ser personagens de um filme do tarantino, vestindo uma camiseta do laranja mecânica, do pink floyd, ou dos simpsons. que coma no burguer king, porque mcdonald's é para os ignorantes.

3 - para cada público um tipo de pessoa-mercadoria. para cada público um limite de liberdade ilusória de escolha sobre as pessoas com quem se quer relacionar.

4 comentários:

  1. Ou seja, não somos livres então nas nossas escolhas? Sempre haverá algum contexto anterior para cada pessoa que determinará suas opções?

    ResponderExcluir
  2. sim. ou então pode ser que o fato de que seus amigos sejam estudantes da unicamp, e não favelados de um morro carioca seja apenas uma coincidência.

    ResponderExcluir
  3. liberdade delimitada.

    mesmo assim você pode fazer algumas escolhas, estas também delimitadas, porém, ainda assim, escolhas. você pode, por exemplo, abandonar seu curso na faculdade e buscar emprego como frentista; mais drástico: pode abandonar sua casa e cama quentinha e sair pelo mundo a deus-dará, assim, terá opções delimitadas não necessariamente pelo contexto que lhe precede, mas sim pela necessidade de sobrevivência no momento presente.

    ResponderExcluir