sexta-feira, 27 de agosto de 2010






terça-feira, 24 de agosto de 2010

terminal central

o sindicato resolveu fechar os portões do terminal central. isso durou quase uma hora. uma hora da tarde e o 3.30 lotado parado no terminal fechado, transformou-se em sauna de calor humano. à essa altura, as estudantes universitárias, já suadas e estressadas, sofrem por não terem seus próprios carros; reclamam porque estão atrasadas e perderão a primeira aula, "é uma falta de respeito", "um absurdo". em outra parte um homem de meia idade e, certamente, baixo salário, declara "se fosse em são paulo já tinha resolvido! chamava a tropa de choque e abria logo o portão". um motorista responde à pressão dos passageiros "não quer esperar, sai do ônibus e vai à pé!". outro motorista comenta com um cobrador "bando de vagabundos! a gente aqui querendo trabalhar!" não era greve, nem paralisação; o sindicato fechou os portões. ninguém sabe. de repente passa um louco e ri sozinho, depois um bêbado - no terminal central os bêbados são bêbados em tempo integral. finalmente o sindicato abre os portões; os ônibus saem e a vida segue. os mendigos continuam aos montes pelo chão, catando nos lixos, sujos, cambaleando.

domingo, 22 de agosto de 2010

juventude .2

na noite de sábado, o jovem de classe média sai à procura de fêmeas. natural, saudável. os bares de bairros de classe média são feitos para o homem jovem de classe média, pois o valor de 10 reais para mulheres e 15 reais para homens, apenas para entrar, deve evitar a presença do pobre e proporcionar boa oferta de mulheres - mas o atrativo da boa oferta de mulheres deve atrair o interesse de homens dispostos a contribuir com 15 reais...
o homem jovem de classe média chega ao bar e confere, ainda pelo lado de fora, qual a situação da oferta de mulheres. avalia quantidade e qualidade, como quem escolhe carne olhando pelo vidro da geladeira do açougue, antes de decidir se seus 15 reais valerão a pena. avalia também a a concorrência, a quantidade de homens dentro do bar. neste momento nota que ao seu lado, fora do bar, há homens precavidos como ele, que fazem a mesma coisa.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

freedom



richie havens, freedom

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

"inércia e inépcia"

são dias ruins. surpreendentemente, dias ruins ainda podem se destacar em um contexto de anos ruins. a vida em regime semi-aberto voluntário de classe média tornou-se totalmente intolerável; a aceitação da repetição cotidiana permanece inalterada e em choque destrutivo com a percepção, cada vez mais clara, da mais completa ausência de sentido.
"entre os mortos ainda há alguns vivos". resta um olhar sem expressão, um olhar de morto; sem decepção e sem esperança; indiferente diante do mundo, como se com isso o mundo fosse retribuir simplesmente do mesmo modo. na verdade, o mundo (capitalista-industrial-urbano-etc) retribui com violência; agrava a mediocridade, a indiferença, a ausência de sentido, e disso se alimenta...

domingo, 8 de agosto de 2010

dia dos pais

um homem que teve filhos sem saber porque, e não se pergunta sobre isso em momento algum. não se trata de acidente, planejou seus filhos como decorrência do casamento. ainda assim não está explicado. e a explicação continua dispensável; todos têm filhos: seus pais, seus tios, seus vizinhos...
fez o melhor que pode, trabalhou duro a vida toda para dar aos filhos boa escola, boa educação...boa alimentação, garantias de bom futuro. trabalhou tanto pelo futuro dos filhos que não teve tempo de saber muito sobre eles. não é o clássico pai opressor, é o pai responsável. apesar disso, chegando à meia idade, resta o constrangimento diante da propaganda do dia dos pais na tv, quando a imagem construída e idealizada pelo capitalismo se distancia da realidade da distância insuperável que o separa dos filhos.
no fim de sua vida ele viverá - novamente sem saber porque - uma cena aprendida com os filmes de holywood, que assistiu distraidamente:
-deveria ter sido um pai melhor!
-não! eu é que deveria ter sido filho melhor!
lágrimas, reconcilhação, mentiras, e as lembranças do passado se convertem em imagens de propagandas do dia dos pais.