domingo, 8 de agosto de 2010

dia dos pais

um homem que teve filhos sem saber porque, e não se pergunta sobre isso em momento algum. não se trata de acidente, planejou seus filhos como decorrência do casamento. ainda assim não está explicado. e a explicação continua dispensável; todos têm filhos: seus pais, seus tios, seus vizinhos...
fez o melhor que pode, trabalhou duro a vida toda para dar aos filhos boa escola, boa educação...boa alimentação, garantias de bom futuro. trabalhou tanto pelo futuro dos filhos que não teve tempo de saber muito sobre eles. não é o clássico pai opressor, é o pai responsável. apesar disso, chegando à meia idade, resta o constrangimento diante da propaganda do dia dos pais na tv, quando a imagem construída e idealizada pelo capitalismo se distancia da realidade da distância insuperável que o separa dos filhos.
no fim de sua vida ele viverá - novamente sem saber porque - uma cena aprendida com os filmes de holywood, que assistiu distraidamente:
-deveria ter sido um pai melhor!
-não! eu é que deveria ter sido filho melhor!
lágrimas, reconcilhação, mentiras, e as lembranças do passado se convertem em imagens de propagandas do dia dos pais.

Um comentário:

  1. cara, isso foi pesado...
    pensei no meu pai, e até fiquei aliviado por não morar mais sobre o mesmo teto que ele, para não ter que passar por essas angústias da sociedade do espetáculo

    ResponderExcluir