quarta-feira, 18 de agosto de 2010

"inércia e inépcia"

são dias ruins. surpreendentemente, dias ruins ainda podem se destacar em um contexto de anos ruins. a vida em regime semi-aberto voluntário de classe média tornou-se totalmente intolerável; a aceitação da repetição cotidiana permanece inalterada e em choque destrutivo com a percepção, cada vez mais clara, da mais completa ausência de sentido.
"entre os mortos ainda há alguns vivos". resta um olhar sem expressão, um olhar de morto; sem decepção e sem esperança; indiferente diante do mundo, como se com isso o mundo fosse retribuir simplesmente do mesmo modo. na verdade, o mundo (capitalista-industrial-urbano-etc) retribui com violência; agrava a mediocridade, a indiferença, a ausência de sentido, e disso se alimenta...

2 comentários:

  1. dias ruins perpetuam-se, auto-destruição desejável e sem esforço.

    indiferença.

    ResponderExcluir
  2. http://miseriahq.blogspot.com/2010/05/essa-grande-inercia-que-e-vida-2.html

    ResponderExcluir