quinta-feira, 24 de março de 2011

quarta-feira, 23 de março de 2011

re-vazio escrito

alguma coisa de ruim aconteceu desde que comecei a ver big brother todos os dias. talvez seja apenas uma coincidência, mas não consigo mais escrever.
deste modo, ao invés de comentar sobre bobagens e catástrofes do jornal nacional, é preferível transformar isto em um grande twitter; a notícia só serve enquanto é nova. o blog-twitter não serve nunca [sem sentido].
a palavra classe média é insuportável agora. o assunto "ciências humanas" é insuportável agora: essas ficções são desgraçadamente causadoras de obsessões desmedidas.
reformar o mundo. o assunto "militantes" é totalmente insuportável agora.

segunda-feira, 21 de março de 2011

obama

o sonho infantil de matar obama esbarra na polícia.
a polícia não proteje o brasileiro comum do mal. a polícia agride o brasileiro comum com abuso completo de poder.
no jornal hoje o pobre feliz e digno do rio de janeiro declara o orgulho que é receber obama em sua cidade; receber obama sem que obama seja morto. obama jamais pode ser morto porque todos os exércitos e polícias e a cia protejem o rio de janeiro do vexame de parecer uma cidade violenta e incivilizada.
o estado brasileiro recebe o discurso simpático de obama: obama diz que brasil e estados unidos são parceiros de mesmo nível. na verdade, obama veio ao brasil fazer vistoria, ver como anda a periferia do império. o estado brasileiro mostra que a favela pacificada e as olimpíadas irão funcionar.

mother

Momma's gonna put all of her fears into you
[...]
She won't let you fly, but she might let you sing

Mother, do you think they'll drop the bomb?
Mother, do you think they'll like this song?
Mother, do you think they'll try to break my balls?
Mother, should I build the wall?

Mother, should I run for president?
Mother, should I trust the government?
Mother, will they put me in the firing line?
Is it just a waste of time?

Hush now baby, baby, don't you cry
Momma's gonna make all of your nightmares come true
Momma's gonna put all of her fears into you
Momma's gonna keep you right here under her wing

She won't let you fly, but she might let you sing
Momma's will keep baby cozy and warm

(3x)
Oh, baby

Of course Momma's gonna help build the wall

Mother, do you think she's good enough
For me?
Mother, do you think she's dangerous
To me?
Mother will she tear your little boy apart?
Mother, will she break my heart?

Hush now baby, baby, don't you cry
Momma's gonna check out all your girlfriends for you
Momma won't let anyone dirty get through
Momma's gonna wait up until you get in
Momma will always find out where you've been
Momma's gonna keep baby healthy and clean


Oh, baby

You'll always be baby to me

Mother, did it need to be so high?

sexta-feira, 4 de março de 2011

maternalismo ideológico capitalista


aí vai a construção da preocupação materna assexuadamente ingênua, como ponto principal de apoio da imutabilidade das coisas todas. o sonho do filho bem sucedido profissionalmente, o serviço bancário diferenciado e o valor da família. tudo deve ser o que sempre foi.

quarta-feira, 2 de março de 2011

"Sete horas e meia de trabalho agradável, não exaustivo, e depois a ração de soma, jogos, copulação irrestrita e os filmes sensíveis. Que poderiam querer mais? É verdade - acrescentou - que poderiam pedir redução do período diário de trabalho. E sem dúvidas consederíamos. Tecnicamente seria perfeitamente simples reduzir o horário de trabalho de todas as classes inferiores para três ou quatro horas por dia. Mas seriam mais felizes assim? Não. Fez-se uma experiência nesse sentido, há mais de um século e meio atrás. Submeteu-se toda a ilha da Irlanda ao dia de quatro horas. Qual foi o resultado? Inquietação e grande aumento do consumo de soma; eis tudo. Essas três horas e meia de lazer suplementar estavam tão longe de constituir uma fonte de felicidade, que as pessoas se sentiam forçadas a fugir delas." - aldous huxley, admirável mundo novo


"Antes de tudo , o trabalho é um processo de que participam o homem e a natureza."; "Atuando assim sobre a natureza externa e modificando-a, ao mesmo tempo [o homem] modifica sua própria natureza." - marx




terça-feira, 1 de março de 2011

sandy

''a moça contou um pouco de suas ousadias e disse que a imagem que as pessoas têm dela não é tão real assim. “Gosto de subir na mesa e dançar. Tenho um lado devassa, sim, e não nego”, atiçou.''