quarta-feira, 27 de abril de 2011

terça-feira, 19 de abril de 2011

"O burguês, para quem a vida se
divide em negócios e vida privada, a vida privada em representações e
intimidade, a intimidade na repugnante comunidade do matrimônio e na amarga
consolação de estar completamente só, separado de si e de todos, virtualmente
já é o nazista, ao mesmo tempo entusiasta e injuriante, ou o moderno habitante
das metrópoles, que só pode conceber a amizade como social contact, como a
aproximação social de indivíduos intimamente distantes." - adorno e horkheimer, indústria cultural e sociedade


a televisão ocupa o centro da sala e o centro das relações pessoais em família.
(a família é uma unidade de produção)
a ordem estabelecida pela centralidade da televisão é mantida, quando preciso, pelo uso da força.

não há mais festa, música ou diversão sem que se provoque na sociedade civilizada um incômodo insuportável. a família educada, incomodada com a diversão alheia é a forma definida de um tipo escravizado pelo trabalho-alienado-bem-assalariado.
a atitude de retirar-se de situações nas quais possa acontecer algo além do monótono é encarada como etapa natural da vida: trabalhar para dormir/dormir para trabalhar; televisão...


sexta-feira, 15 de abril de 2011

noites de circo

uma companhia falida de circo vai em direção à cidade para melhorar sua condição. surge o problema de estar bem vestido diante do artista burguês, apesar da pobreza; submeter-se ao favor que o burguês faz em explorá-los - avaliando-os, marcando a distinção que há entre eles.
mas a consciência profunda da miséria se produz quando não se pode escapar da condição miserável: o artísta burguês está em condições de seduzir a companheira do dono do circo. o ciúmes e a desconfiança da traição são, por excelência, os elementos produtores da loucura. a desconfiança da traição, somada ao orgulho ofendido e à humilhação, fazem o caminho da autodestruição.
a consciência de si é produzida e ganha contornos perigosos quando, por acreditar que seu cheiro é desagradável ao olfato educado, a companheira do dono do circo sente a necessidade de se desculpar ao artísta burguês.

terça-feira, 12 de abril de 2011

jasper jones
"O ressentimento surgiu como uma das dimensões fundamentais do ethos e da ética ascética da pequena burguesia (ou de modo mais geral, da burguesia em sua fase ascendente), sem dúvida porque ela autoriza os membros da classe média - conscientes de que sua ascenção resulta de privações e sacrifícios de que estão livres, ao menos em sua óptica, os membros das classes populares e os membros das classes superiores - a fazerem, como se costuma dizer, da necessidade virtude, e a condenarem tanto o laxismo dos que não tiveram que pagar o preço da ascenção como o descuido imprevidente dos que não souberam ou não quiseram pagar tal preço." - pierre bourdieu, economia das trocas simbólicas

quinta-feira, 7 de abril de 2011

"Para cada arma que se vende no mundo, 20 mil pessoas compartilham uma coca-cola"

só é possível dormir bem tendo sólida a crença de que não há relação nenhuma entre armas e coca-cola. hoje, até o anticapitalista bebe coca-cola enquanto discute a inclusão social e a educação popular.
quem disser que a indústria de armas contribui para a conquista de mercados para a coca-cola pode ser considerado stalinista, esquerdista ultrapassado.
compartilhar uma coca-cola com 20 mil pessoas significa comprar uma coca-cola e repartir com o colega de classe.

""É sangue mesmo, não é mertiolate"
E todos querem ver
E comentar a novidade.
"É tão emocionante um acidente de verdade"
Estão todos satisfeitos
Com o sucesso do desastre:
Vai passar na televisão
"Por gentileza, aguarde um momento.
Sem carteirinha não tem atendimento -
Carteira de trabalho assinada, sim senhor.
Olha o tumulto: façam fila por favor.
Todos com a documentação.
Quem não tem senha não tem lugar marcado.
Eu sinto muito mas já passa do horário.
Entendo seu problema mas não posso resolver:
É contra o regulamento, está bem aqui, pode ver.
Ordens são ordens.
Em todo caso já temos sua ficha.
Só falta o recibo comprovando residência.
Pra limpar todo esse sangue, chamei a faxineira -
E agora eu vou indo senão perco a novela
E eu não quero ficar na mão" - legião urbana

sexta-feira, 1 de abril de 2011





na verdade é preciso... toda essa perturbação e essa artificialidade de linguagem, não passam de extensões da alienação em forma de anti-alienação. acreditar é um último apelo para ocupar o que está desocupado[no mal sentido]
preciso consumir como mercadoria a miséria da mulher muçulmana, para distrair a miséria vivida.