terça-feira, 26 de março de 2013

o homem culto médio

durante a entrevista datena cita nietzsche, santo agostinho, spinoza e o método socrático.
mais do que o acesso à leitura, é a ideia que o datena tem sobre o que é leitura o que define a forma como o ele cita filósofos na entrevista. são passagens curtas, imprecisas, deslocadas. usa as citações acreditando que conhece-las faz dele um homem culto.
declara que em casa, no momento de lazer, assiste televisão: history channel, discovery channel. apresenta, portanto, referenciais de quem entende a cultura como um amontoado de fatos e citações que a memória de uma pessoa inteligente deve ser capaz de armazenar, e pela qual pode equilibrar a fama de ignorante que lhe deu sua atuação no jornalismo sensacionalista.
diz que tem formação de esquerda e que não gosta de programas policiais. sua maior inspiração é cristo. não é com hipocrisia que o datena disfarça seu autoritarismo. sua visão de mundo, seus valores são formados e avaliados por referenciais confusos, interpretados segundo chaves de leitura moldadas no senso comum, cuja manifestação principal é a reprodução da violência colocada no interior de suas noções de bem e de ordem.

quarta-feira, 13 de março de 2013

transmissão de valores e manutenção da ordem


o que acontece quando um filho não é capaz de querer ser bem sucedido? o que acontece se nenhum filho quiser mais ser bem sucedido? o que garante que um dia isso não vá acontecer?
um homem bem sucedido, aos seus 50 e poucos anos foi criado com poucas possibilidades de escolha. a geração de seus pais, saída de uma vida semi-rural colocou nos filhos pela força da autoridade, todos os seus valores sobre os quais repousam o verdadeiro e o falso, o bem e o mal. este filho criado pela força da autoridade alcançou condição de vida melhor que a dos pais: é o resultado da disciplina, acredita ele, que constrói também um sentimento inabalável de gratidão por aqueles seus pais duros e antigos. ironicamente esta condição melhor de vida ameniza os costumes e moderniza os valores. moderniza, mas não transforma. quando seus filhos, portanto, criados na base de uma educação aberta não são capazes de absorver os restos mais sólidos daquelas verdades antigas, ocorre uma ruptura.
a ausência de autoridade diretamente aplicada cria espaços de subversão. a este pai, dividido entre a autoridade e a vontade de ser moderno, resta a decepção diante do incompreensível.

terça-feira, 5 de março de 2013